Curadores falam sobre temas do Programa Avançado em Comunicação Pública

Aula inaugural do curso oferecido pela Aberje e ABCPública será dia 03/08; projeto final da capacitação será a elaboração de e-book sobre comunicação pública

Os desafios da comunicação pública, novas práticas, mensuração, gestão de risco e de crises são alguns dos temas das dez aulas do Programa Avançado em Comunicação Pública, oferecido pela parceria entre a Aberje e a ABPública a partir do dia 03 de agosto, em São Paulo.

O jornalista Jorge Duarte e a relações públicas Emiliana Pomarico Ribeiro são os curadores do programa de 80 horas de capacitação dividida em 10 aulas, aos sábados, uma vez ao mês. A programação do curso prevê seminários, debates, palestras e aulas, em que serão discutidos casos e apresentadas visões e práticas em busca de uma comunicação estratégica, protagonista, atualizada e eficiente, voltada para um cidadão cada vez mais ativo e exigente.

Jorge Duarte, que é mestre e doutor em Comunicação, explica que os temas escolhidos para as dez aulas têm uma relação direta com o dia a dia do profissional de comunicação que atua na área pública. “Tentamos oferecer temas que tratem desde a visão global, sistêmica e integrativa da comunicação até os grandes assuntos com os quais atuamos: planejamento, estratégia, relações com as mídias, riscos, crises, gestão, mensuração, comunicação interna, publicidade, marketing, patrocínio. Será um conteúdo muito voltado para a prática, com instrutores com formação de alto nível e muita experiência”.

Segundo Emiliana Pomarico Ribeiro, doutora em comunicação e gerente executiva da Escola Aberje de Comunicação, o curso foi pensado para tratar os principais desafios vivenciados pelo profissional de comunicação para atender à necessidade de interação entre a sociedade e o Estado e vice-versa.

Inscrições – As inscrições para o Programa Avançado em Comunicação Pública estão abertas e podem ser feitas para o programa completo ou por aula. Associados da ABCPública e da Aberje têm desconto.

A aula inaugural, dia 03 de agosto, trará discussões importantes como “novos olhares e novas práticas de comunicação pública”, com Renato Janine Ribeiro (ex-ministro da educação e professor titular de Ética e Filosofia da USP), “os desafios da comunicação brasileira na área pública”, com Eugênio Bucci (jornalista e professor titular da ECA-USP) e um debate sobre “governo, comunicação e cidadania”, com grandes nomes da área como Thomas Traumann (Consultor e Pesquisador associado do Departamento de Acompanhamento de Políticas Públicas da Fundação Getúlio Vargas), Andrew Greelees (sócio fundador da FLAG Public Affairs) e Fábio Souza dos Santos (ex-secretário especial de comunicação do Governo Municipal de São Paulo).

Emiliana explica que após essa aula inaugural em agosto, as aulas seguirão com dinâmicas bem práticas que falam sobre planejamento, relacionamento com a mídia, marketing, gestão de riscos e crises, comunicação digital, comunicação interna e gestão de equipes. Ao final, outro diferencial será a produção de um e-book, produzido pelos próprios alunos do programa.

RJ: profissionais se reúnem para criar seção regional da ABCPública

Grupo inicial inclui consultores e assessores da DPU, Ipea, MPF e UFRJ

A primeira reunião da ABCPública no Rio de Janeiro atraiu um grupo de assessores e consultores de comunicação atuantes em órgãos do sistema judicial e instituições de ensino e pesquisa. Reunido na tarde de 14 de maio na sede do Ministério Público Federal (MPF) na 2a Região (RJ/ES), o grupo fez planos para expandir e consolidar a seção fluminense, incluindo a realização de encontros com mais profissionais de comunicação pública e, em 2020, palestras voltadas a estudantes de Comunicação.

Participaram da criação da ABCPública-RJ os assessores de comunicação Gloria Melgarejo (DPU), Marina Nery (IPEA), Marcelo Del Negri, Mario Grangeia e Renne Barros (MPF) e Victor França (UFRJ), a consultora Joice Pacheco (2131 Conteúdo, ex-Secom/Presidência e TV Brasil). A reunião foi coordenada pelo vice-presidente da ABCPública Armando Medeiros de Sá (LS Comunicação), que expôs a proposta da Associação e sua rede em outros Estados e no Distrito Federal. Nesse início, a regional do RJ vai ter como coordenadores Joice Pacheco, Mario Grangeia e Victor França.

MUDOU! discute comunicação pública

ABCPública participará do debate, que terá transmissão ao vivo pelo Facebook

A ABCPública participará da 4ª edição do MUDOU!, um debate sobre comunicação pública promovido pelo Conversa Coletivo de Comunicação Criativa, no dia 9 de maio, a partir das 8h30, durante a Semana de Comunicação do UniCeub, em Brasília.

O debate terá a participação do presidente da ABCPública, Lincoln Macário, e da editora-executiva do @metropolesdf , Priscilla Borges. A mediação será da Kadydja Albuquerque, integrante do Coletivo Conversa.

O debate será transmitido pelas páginas do Facebook do site Metrópoles, Coletivo Conversa e pela ABCPública.

Em GO, seção da ABCPública reúne jornalistas do Executivo, Legislativo e MP

Grupo fez primeira reunião para decidir organização da seção

A seção da ABCPública em Goiás realizou a sua primeira reunião na semana passada com a presença dos jornalistas Fausto Borges (Governo do Estado), Cris Rosa e Uiara Machado (Ministério Pública Estadual) e Bruna Mastrella (Assembleia Legislativa), além da coordenadora da seção Alessandra Lessa (Governo do Estado).

Nesta primeira etapa de organização da seção, explica Alessandra Lessa, foi definida a criação de núcleos vinculados à coordenação e o levantamento dos profissionais que atuam no Executivo, Legislativo, Judiciário e Ministério Público, em Goiás. “A partir do resultado desse levantamento vamos elaborar as próximas etapas da atuação da ABCPública em Goiás”, afirmou a coordenadora.

Jornalistas organizam primeira reunião da ABCPública no RJ

Reunião será dia 14 de maio, na sede do Ministério Público Federal

A ABCPública inaugura um novo núcleo, desta vez no Rio de Janeiro. O primeiro encontro no Rio será em 14/5, às 14h, com apoio da Assessoria de Comunicação do Ministério Público Federal, na sede do MPF/2ª Região (av. Almirante Barroso, 54, 17º – Centro).

Fundada há três anos por profissionais de diversos estados, a entidade propõe um espaço de reflexão, análise e debates sobre os desafios da comunicação pública nas diversas instâncias (Executivo, Legislativo, Judiciário, Ministério Público) e esferas (federal, estadual e municipal).

A ABCPública está em fase de consolidação de suas seções estaduais em todo o país. Além de São Paulo e Brasília, já conta com seções nos estados do Ceará, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Paraná, Pernambuco, Rio Grande do Sul e Rondônia.

Mais informações sobre a reunião da ABCPúblia no Rio de Janeiro, com Mário Grangeia (mgrangeia@ mpf.mp.br) e Victor Franca (victor franca@reitoria.ufrj.br).

Divulgado pela Revista Jornalistas e Cia, edição 1.203

Biblioteca digital reúne textos de comunicação pública

Organizada pela ABCPública, biblioteca é colaborativa; artigos, livros e publicações podem ser enviadas para integrar o acervo digital

O site da ABCPública agora conta com uma biblioteca de estudos brasileiros sobre comunicação pública. São dezenas de artigos científicos, teses, monografias, livros e trabalhos apresentados em eventos acadêmicos. A Biblioteca Digital inclui ainda manuais, relatórios técnicos e normas. Conta com um serviço de busca que pesquisa qualquer termos dos registros (título, autor, resumo, palavras-chave etc.) e com links para os textos completos. 

A base da Biblioteca Digital é um levantamento de mais de 300 títulos feito pelo sócio-honorário da ABCPública Antonio Teixeira de Barros, professor do Centro de Formação da Câmara dos Deputados, em Brasília. Ele destaca que “a principal contribuição dessa iniciativa é reunir toda a produção sobre comunicação pública em um mesmo espaço, permitindo observar os temas mais estudados, as metodologias utilizadas e eventuais lacunas na agenda de pesquisa, a fim de motivar novos pesquisadores”.

O cadastramento dos estudos na Biblioteca Digital está sendo feito por um grupo de voluntários. Sugestões de inclusão podem ser enviadas para contato@abcpublica.org.br.

Clique aqui e conheça a Biblioteca Digital sobre comunicação pública.

RS tem regional da ABCPública

Primeira reunião oficial da ABCPública Rio Grande do Sul. Da esquerda para a direita, Jéfferson Curtinovi (Ministério Público Federal e coordenador da regional da ABCPública no RS), Adriana Langon (Ministério Público Federal), Lisiane Dias (associada, consultora em comunicação pública) e Rita Becco (prefeitura de Porto Alegre).

Acompanhe a transmissão do evento da ABCPública em GO

Evento é transmitido pela página da ABCPública no Facebook

Está sendo transmitido ao vivo o debate promovido pela ABCPública em Goiânia, por meio da seção regional da entidade, sobre transparência e comunicação com a professora Nelia Del Bianco, vinculada aos programas de pós-graduação da Universidade de Brasília (UNB) e da Universidade Federal de Goiás (UFG).

Também participam do debate os jornalistas Lincoln Macário, presidente da ABCPública, e Jorge Duarte, diretor de Relações Acadêmicas da ABCPública e a coordenadora da associação em Goiás, Alessandra Lessa.

Acompanhe aqui:
https://www.facebook.com/abcpublica/

EBC unifica canais público e estatal e viola Constituição


A Empresa Brasil de Comunicação (EBC) formalizou nesta terça-feira (9) a unificação da TV Brasil, principal canal público de televisão do país, com a emissora estatal NBR, que veicula atos e informações do governo federal. A medida consta na Portaria nº 216, assinada pelo presidente da empresa pública de comunicação, Alexandre Graziani Jr. O ato, que já havia sido anunciado pelo governo há algumas semanas, constitui-se numa flagrante violação do princípio constitucional da complementaridade entre os sistemas público, privado e estatal de comunicação, expresso no artigo 223 da Carta Magna, e pode indicar prevaricação da direção da empresa. Trata-se de um verdadeiro aparelhamento da emissora pelo governo Jair Bolsonaro, na intenção de criar uma mera agência de propaganda governamental. 

Na prática, ao juntar as duas emissoras, mesclando programações com finalidades distintas em uma só, o governo enterra o projeto de comunicação pública com foco no cidadão e pautado pela pluralidade, diversidade e independência de conteúdo. A “nova” TV Brasil que resulta dessa fusão enxerta, no que deveria ser uma emissora pública, uma programação com forte apelo governamental, tendo boa parte do conteúdo marcadamente chapa-branca, auto-referenciado no governo e sem qualquer tipo de participação social, muito menos autonomia e independência editorial.  Com isso, o Brasil distancia-se ainda mais das paradigmáticas experiências de comunicação pública em países de democracia avançada, nos quais as emissoras públicas buscam desenvolver conteúdos que reflitam a diversidade da população, estimulem a reflexão e o debate público, e apresentem uma variedade de formatos e gêneros, indo além do que é oferecido pelos meios de comunicação comerciais.  Em um toque de desfaçatez, a Portaria que unifica emissoras pública e estatal, acabando com a complementaridade entre os dois sistemas, invoca esse mesmo princípio, contido no artigo 223 da Constituição Federal, para justificar a medida, que vai exatamente na contra-mão do que esse dispositivo legal determina. A Portaria ainda desrespeita a própria lei da EBC em vigor, que prevê a “autonomia em relação ao Governo Federal para definir produção, programação e distribuição de conteúdo no sistema público de radiodifusão” (inciso VIII, parágrafo 2º, da Lei 11652/2008).  A esse episódio de desmonte, juntam-se outros ataques que a EBC vem sofrendo nos últimos anos, que incluem a extinção do Conselho Curador, colegiado que garantia a participação da sociedade na definição da programação das emissoras públicas, além da eliminação do mandato do diretor-presidente da empresa, mecanismo que assegurava maior autonomia em relação aos governos de plantão. Essas duas mudanças, aliás, já foram consideradas, em nota técnica da Procuradoria Federal dos Direitos do Cidadão (PFDC), do Ministério Público Federal (MPF), como inconstitucionais e, portanto, passíveis de questionamento judicial, por enfraquecerem a independência das emissoras públicas e torná-las vulneráveis aos desmandos e manipulação por parte do governo.  A nova programação divulgada pela emissora é mais uma demonstração do desrespeito pela previsão constitucional. Boletins com notícias do governo irão ao ar de hora em hora e ocuparão ao menos 15 minutos do jornal noturno da TV, o Repórter Brasil. O jornal da manhã foi extinto, em seu lugar entrará um noticiário do governo, o “Brasil em Dia”, acompanhado de um semanal de entrevistas com integrantes do governo Bolsonaro. Ainda estão previstos especiais sobre a Marinha e do Exército em plena programação da emissora pública. Em contrapartida, programas como “Estação Plural”, apresentado por pessoas LGBTs, saiu do ar, bem como outros programas de ampla reflexão social. Além disso, as emissoras da EBC vem sofrendo com fechamento de retransmissoras em diversos estados, sucateamento de equipamentos, censura de matérias ou conteúdos que desagradam o governo, entre outras arbitrariedades que atentam contra o direito à comunicação da população brasileira e violam o exercício da liberdade de expressão, uma garantia básica da democracia. A Frente em Defesa da EBC e da Comunicação Pública repudia mais esse gravíssimo retrocesso e convoca todas as organizações que defendem o direito à comunicação a lutarem, com todas as medidas cabíveis, pela restauração de um projeto de comunicação pública em linha com que preconizam a própria Constituição Federal e as melhores práticas internacionais do mundo democrático. Não nos calaremos.

Brasília, 10 de abril de 2019. 

Frente em Defesa da EBC e da Comunicação Pública
Fórum Nacional pela Democratização da Comunicação (FNDC) 

Organizações que subscrevem a nota (por ordem alfabética) 
Associação Brasileira de Comunicação Pública (ABCPública)
Associação Brasileira de Radiodifusão Comunitária (Abraço)
Associação Mundial de Rádios Comunitárias (Amarc Brasil)
Associação Nacional de Pós-Graduandos (ANPG)
Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB)
Central Única dos Trabalhadores (CUT)
Centro de Estudos da Mídia Alternativa Barão de Itararé
Centro Dom Helder Câmara de Estudos e Ação Social
Ciranda – Comunicação Internacional Compartilhada
Comissão de Empregados da EBC
Confederação Nacional das Associações de Moradores (Conam)
Confederação Nacional dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Ensino (Contee)
Confederação Nacional dos Trabalhadores em Ensino (CNTE)
Conselho Curador da EBC (cassado)
Dom da Terra AfroLGBTI
Escola de Comunicação da Universidade Federal do Rio de Janeiro (ECO-UFRJ)
Federação Interestadual dos Trabalhadores e Pesquisadores em Serviços de Telecomunicações (Fitratelp)
Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj)
Intervozes – Coletivo Brasil de Comunicação Social
Instituto de Desenvolvimento dos Direitos Humanos  (IDDH)
Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB)
Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST)
Plataforma de Direitos Humanos – Dhesca Brasil Portal Vermelho
Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Distrito Federal (SJPDF)
Sindicato dos Jornalistas Profissionais de São Paulo (SJSP) 
Sindicato dos Radialistas do Distrito Federal 
Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Rádio e Televisão no Estado de São Paulo
Terra de Direitos
Ulepicc-Brasil (União Latina de Economia Política da Informação, da Comunicação e da Cultura) 
União Brasileira de Mulheres (UBM)
União Brasileira dos Estudantes (UNE)
União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (Ubes) 

Personalidades que subscrevem a nota (por ordem alfabética) 
Ana Flávia Marx – jornalista
Carlos Tibúrcio – jornalista, ex-coordenador da equipe de discursos dos presidentes da República Lula e Dilma
Conceição Lemes – jornalista
Débora Cruz – jornalista e ex-secretária adjunta de comunicação do Governo do Distrito Federal
Hildegard Angel – jornalista
Laurindo Lalo Leal Filho – ex-Ouvidor Geral da EBC
Lourdes Nassif – jornalista
Lúcia Rodrigues – jornalista
Olímpio Cruz Neto – ex-secretário de Imprensa da Presidência da República no governo Dilma Rousseff
Paulo Donizeti – jornalista
Renato Rovai – jornalista
Tereza Cruvinel – jornalista, ex-presidente da Empresa Brasil de Comunicação (EBC)
Vanessa Martina Silva – jornalista 

Envie sua assinatura de apoiamento para o e-mail secretaria@fndc.org.br. 

Para ver a lista atualizada dos apoiadores acesse: www.fndc.org.br

Goiânia: ABCPública promove debate sobre transparência

A Associação Brasileira de Comunicação Pública (ABCPública) vai lançar a seção regional de Goiás com o debate “Transparência pública: estratégias de comunicação para o fortalecimento da democracia”. O evento será realizado pela Associação, com apoio da Agência Brasil Central e da  Secretaria de Estado de Comunicação do Governo de Goiás, no auditório Jaime Câmara, Palácio Pedro Ludovico, em Goiânia, no dia 12 de abril, das 9h às 12h.

Os palestrantes serão a professora Nelia Del Bianco (foto), vinculada aos programas de pós-graduação da Universidade de Brasília (UnB) e da Universidade Federal de Goiás (UFG), e Jorge Duarte, diretor da ABCPública e gerente de comunicação estratégica da Embrapa. Também participam o presidente da ABCPública, Lincoln Macário, e a coordenadora da associação em Goiás, Alessandra Lessa.

O evento é destinado a profissionais, pesquisadores e estudantes de comunicação. A entrada é gratuita, mas o número de participantes é limitado à capacidade do local. Para se inscrever, envie mensagem para o e-mail contato@abcpublica.org.br, informando nome, vinculação institucional e o CPF, para agilizar o ingresso no edifício.

A realização do evento não produz custos para a administração pública estadual uma vez que os palestrantes participarão do evento de forma colaborativa e a Associação arcará com os custos de deslocamento.

Recife tem regional da ABCPública

A ABCPública fez sua primeira reunião em Recife no dia 26 de março. Participaram (na foto, da esquerda para a direita) Gustavo Almeida (presidente da Empresa Pernambuco de Comunicação – EPC), Bruno Bastos (Ministério Público de PE), Andréa Corradini (associada, MP-PE) e Ana Paula Lucena, coordenadora da regional Pernambuco da Associação (UFRPE).

Judiciário lança campanha contra fake news

Neste 1º de abril (conhecido como Dia da Mentira), as redes do Poder Judiciário iniciam a campanha #FakeNewsNão, que tem como objetivo combater e alertar sobre o perigo de disseminar notícias falsas, as fake news, no ambiente digital.

A iniciativa, conduzida pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ), tem a parceria do Supremo Tribunal Federal (STF), de tribunais superiores e de associações de magistrados, e busca promover a divulgação de informações relevantes, de forma clara e transparente.

Ao falar sobre a ação, o presidente do CNJ e do STF, ministro Dias Toffoli, reafirmou que a democracia pressupõe Judiciário e imprensa livres. “Estamos iniciando campanha no Poder Judiciário, junto com as associações de magistrados, também em defesa da magistratura, porque não há Estado Democrático de Direito, não há democracia sem um Judiciário independente e sem uma imprensa livre. É fundamental que tenhamos essa percepção, da necessidade de termos um Judiciário que possa, num país infelizmente ainda tão desigual, garantir direitos e liberdades fundamentais”, afirmou Toffoli.

As peças serão veiculadas nas mídias sociais do Supremo, na Rádio Justiça, na TV Justiça, além das redes sociais do Superior Tribunal de Justiça (STJ), do Tribunal Superior do Trabalho (TST), do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), do Superior Tribunal Militar (STM) e de outros órgãos parceiros. O material apresentará desde dicas de como identificar uma fake news até exemplos reais de conteúdos divulgados pelas redes sociais.

Fonte: stf.jus.br

Com foco no direito do cidadão à informação, à participação e no dever do Estado de prestar contas de suas ações, foi criada a Associação Brasileira de Comunicação Pública - ABCPública.