Seminário realizado com o apoio da ABCPública debateu os desafios da TVs Legislativas no Brasil

Na última quinta-feira (26) foi realizado o “I Seminário TVs Legislativas: Desafios e Oportunidades”, uma produção da Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF), através da TV Câmara Distrital e da Escola do Legislativo (Elegis), em parceria com a ABCPública.

A presidente da ABCPública, Cláudia Lemos, participou do encontro e saudou uma das “caçulas” entre as emissoras legislativas, que entrou no ar em 25 de outubro de 2021. “Com o gás em que a TV Câmara Distrital chega, nos mostra a vitalidade desses veículos e a relevância que eles têm no nosso panorama político e nosso panorama de comunicação pública”, disse. “Para nós, da ABCPública, capacitação é uma prioridade e isso é o que esse seminário traz”, completou.

Uma das palestrantes do evento foi a diretora de transmissão ao vivo do Plenário da Câmara dos Deputados, Ginny Morais. A jornalista abordou como funcionam programação, conteúdo e transmissões parlamentares na TV Câmara e a importância do cuidado com a tradução da linguagem técnica. “Como é que cidadão comum, tendo em vista a ausência de letramento político que a gente tem, vai entender o que está se passando ali naquele ambiente? Na Câmara criamos um projeto de nova transmissão ao vivo porque era necessário uma transmissão que informasse a pessoa o que ela está assistindo e na hora que ela está assistindo”, explicou. 

A jornalista esclareceu que uma transmissão de TV Legislativa precisa ser focada no conteúdo, com uma linguagem simples. “A gente precisa adotar uma linguagem simples, com compreensão imediata pela população. Por isso, a nova transmissão da TV Câmara é uma transmissão mais dinâmica. É basicamente uma tela, na lateral, que vai adicionando informações e explicações para que o público consiga entender o que está se passando na hora. E com isso estamos conseguindo aumentar a abrangência da nossa transmissão ao vivo e agregando mais informações”.

Ginny Morais também compartilhou que, hoje, a programação da TV Câmara é estritamente focada na cobertura de eventos e atos  legislativos, além de uma prioridade para cobertura em tempo real. A profissional também comentou que um dos objetivos da TV Câmara é aumentar a acessibilidade e inclusão da emissora. 

Sobre os desafios encontrados à frente da TV Câmara, Ginny Morais destacou a necessidade de sempre se lembrar o porquê da existência da TV Legislativa. “Pode parecer uma pergunta muito óbvia, mas, muitas vezes, com o passar dos dias e com a atuação que a gente tem, esse tipo de questionamento acaba sendo deixado de lado. É uma reflexão que temos que fazer diariamente. A gente precisa saber que a gente trabalha para o cidadão”.

Érico da Silveira, diretor da TV Senado, também esteve presente no seminário e falou sobre a atuação das TVs legislativas nas redes sociais.  O profissional, que é formado em publicidade e propaganda, mostrou os números da TV Senado nas redes sociais e afirmou que o YouTube é a matéria-prima principal da emissora, onde a transmissão ocorre há 20 anos. 

“Nosso YouTube é multiprogramação na TV Senado. A gente precisa aportar muito a comunicação para que essa transmissão funcione bem. E para fazer isso, a gente tem que trocar a linguagem. Saber claramente que esses conteúdos são de comunicação, são de jornalismo, é vital para a definição da linha editorial que vemos hoje na TV Senado”, contou. 

Érico da Silveira explicou também que nas demais redes sociais a TV Senado, que completou 25 anos em 2022,  trabalha sua marca, que nada mais é do que a tradução dos seus valores. E assim foi possível colher resultados. 

Luciana Rivelli, presidente da Associação de TVs e Rádios Legislativas – Astral, e Ana Rachel Gonçalves, jornalista que trabalhou na Assembleia Legislativa de Sergipe, compuseram o painel “Desafios e crescimento das TVs legislativas no Brasil”

“A gente tem um grande desafio que é trazer a transparência, mas de uma forma facilitada, em que os telespectadores compreendam o que está sendo tratado na Casa.  Por uma experiência que eu tenho na Astral, vejo que cada Casa tem sua artimanha para conteúdos mais próximos do cidadão,”  disse Luciana Rivelli. 

Ana Rachel Gonçalves – que também faz parte da coordeação da ABCPública em Sergipe – apresentou dados de sua dissertação de mestrado, que trata da eficiência do jornalismo na TVs Legislativas. “A pesquisa que eu desenvolvi foi justamente ver o grau de adesão das TVs Legislativas no Brasil aos instrumentos de transparência e accountability no jornalismo que é praticado nessas TVs”, explicou. A pesquisa produzida pela jornalista mostrou que as emissoras foco do estudo ainda têm baixo grau de adesão aos instrumentos de transparência e accountability na gestão editorial do jornalismo.

Na biblioteca virtual da ABCPública você encontra a dissertação da Ana Rachel Gonçalves e também a da Ginny Morais, que mapeou a transmissão do plenário por casas legislativas de todo o continente americano: https://abcpublica.org.br/biblioteca/.

“O seminário marcou a consolidação da TV Câmara Distrital no campo da comunicação pública brasileira, com o objetivo de contribuir para a transparência do parlamento local, para o exercício da cidadania dos moradores do DF e para a qualidade da informação pública disponível à sociedade”, destacou o jornalista da emissora Bruno Lara, que mediou o debate.  A emissora está no ar desde outubro de 2021, em canal aberto para o Distrito Federal (canal 9.3), o canal 11 da Net/Claro e no canal 9 da Vivo.

Para assistir ao seminário na íntegra, acesse: https://www.youtube.com/watch?v=i3frloJ-Os8

Compartilhe

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.